Brasil



Quinta-Feira, 24 de Julho de 2014
Tamanho do texto:
  • Aumentar Texto
  • Texto Normal
  • Diminuir Texto
Home Ensino Técnicos Área - Recursos Naturais Técnico em Agroecologia

Técnico em Agroecologia

Técnico em Agroecologia

 
Técnico em Agroecologia
 
1. APRESENTAÇÃO

O Curso Técnico em Agroecologia Integrado ao Ensino Médio dos Povos Indígenas do Sudeste Paraense corresponde à primeira experiência do CRMB/IFPA com a educação escolar indígena. Sua implementação, como política pública, representa um desafio que se materializa na função social deste Instituto em promover educação do-no campo articulando as dimensões científico, tecnológico e humanística, visando à formação do profissional-cidadão crítico-reflexivo, competente técnica e eticamente e comprometido com as transformações sociais, políticas e culturais. Nesse sentido, este curso propõe-se a desenvolver uma educação diferenciada junto aos povos indígenas, que perpassa pelo respeito aos conhecimentos tradicionais e oportunizar a inter-relação entre os conhecimentos tradicionais e escolares para o desenvolvimento de uma educação contextualizada; construir o currículo via tema gerador e assumir a Pedagogia da Alternância, a pesquisa, o trabalho e a cultura como princípios educativos.

Sua construção teve início no ano de 2009, por meio do diálogo estabelecido com as comunidades e lideranças indígenas de 09 povos (Atikum, Guarani, Aikewara-Suruí, Amanayé, Guajajara, Assuriní, Akrãtikatêjê, Parkatêjê e Kyikatêjê) por meio de visitas e realização do diagnóstico preliminar da realidade sócio-produtiva; de Seminários com lideranças e professores indígenas, servidores do Campus Rural de Marabá (CRMB) e parceiros como o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), a Universidade Federal do Pará (UFPA-Campus Marabá) e a Fundação Nacional do Índio (FUNAI); e, por momentos de estudo de documentos e de pesquisas sobre os povos indígenas da região.

Esse projeto de curso tem como referência o Documento Orientador das Conferencias da Educação Escolar Indígena de Novembro de 2008; o decreto nº 6.861, de 27 de maio de 2009 que define em sue artigo 1º que “ A educação escolar indígena será organizada com a participação dos povos indígenas, observada a sua territorialidade e respeitando suas necessidades e especificidades”; as diretrizes operacionais da Educação escolar Indígena; e, o catálogo dos Cursos Técnicos. A construção de um curso técnico em Agroecologia integrado ao Ensino Médio específico dos povos indígenas se constitui em uma iniciativa pioneira no Pará e na mesorregião Sudeste paraense. Assim, a primeira turma de alunos indígenas se constitui como experiência piloto, que se propõe a construir uma proposta teórico-pedagógica que garanta a voz as populações indígenas. 

 

2. OBJETIVOS

 

Formar técnicos em Agroecologia na modalidade integrado ao Ensino Médio, visando contribuir para a segurança alimentar e a gestão territorial e ambiental dos povos indígenas.

 

 

2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

Desenvolver ações integradas, unindo a preservação e conservação de recursos naturais à sustentabilidade social e econômica dos sistemas produtivos;

Atuar na conservação do solo e da água e preservação da floresta;

Auxiliar o desenvolvimento de ações integradas de produção familiar ou coletiva nas aldeias, considerando a sustentabilidade e os sistemas produtivos;

Participar de ações de conservação e armazenamento de matéria-prima e de processamento e industrialização de produtos agroecológicos;

 Propiciar que a metodologia desenvolvida torne os educandos indígenas participantes ativos do processo de aprendizagem, por meio da inter-relação do saber-fazer tradicional e o conhecimento científico por meio de atividades desenvolvidas em diferentes tempos-espaços formativos;

 Estimular a produção cultural valorizando os saberes tradicionais, as identidades étnicas, a oralidade, a memória histórica e os projetos societários de cada povo;

Propiciar que a pesquisa/diagnóstico subsidie o processo educativo, valorizando a perspectiva do etnoconhecimento nos processos de aprendizagem;

 Fomentar a autonomia e o protagonismo dos povos indígenas.

 
3.PERFIL PROFISSIONAL

 

Os profissionais formados deverão ser capazes de realizar uma leitura crítica da realidade propondo ações que levem em consideração as especificidades culturais, identitárias e produtivas de seus povos, apresentando formação técnica, política e humanista. Desta forma, espera-se formar um profissional com a capacidade para diagnosticar e propor soluções aos problemas técnicos e de gestão das distintas etapas da produção comunitária e familiar das aldeias indígenas, levando em consideração as dimensões cultural, sócio-econômica e ambiental, cujo processo formativo deverá estar voltado à profissionalização que atenda às necessidades e interesses dos povos indígenas, visando à formação de técnicos nas diferentes áreas, de acordo com os projetos de sustentabilidade de cada povo. O futuro profissional indígena será motivado a mobilizar outros profissionais de sua etnia para a discussão sobre o contexto tecnológico no mundo atual e sua relação com a realidade e as atuais circunstâncias históricas dos povos indígenas, tem como atributos desejáveis: O auto-reconhecimento do pertencimento à aldeia; a sensibilidade às expectativas e às demandas da aldeia relativas à educação, à saúde e à sustentabilidade em toda a sua abrangência; o relacionamento respeitoso com a comunidade e o compromisso de ajudá-la nas suas dificuldades e na defesa de seus interesses e direitos; o interesse na inter-relação entre os conhecimentos próprios relativos ao mundo social e natural e os conhecimentos de outras culturas, para a valorização e a ampliação de seu próprio universo cosmológico e de práticas culturais; o compromisso com o fortalecimento da cultura e uso das técnicas e tecnologias com o propósito de resgatar os costumes, as crenças, os valores, os hábitos alimentares, entre outros, perdidos devido o processo de ocupação da terra.

4.ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

 

O currículo do curso referencia-se no Eixo Articulador Sustentabilidade dos Territórios Indígenas, está organizado em ciclos formativos que se desdobram nos eixos temáticos:

·    Cultura e identidade;

·    Terra, trabalho e produção;

·    Direito e políticas publicas.

 

Ciclo I: DIAGNÓSTICO SÓCIO-CULTURAL E AGRO-AMBIENTAL DAS ALDEIAS

 

Tempo de execução: dois semestres

 

Objetivo Geral do ciclo: Identificar as características sócio-culturais, econômicas e agroambientais do cotidiano dos povos indígenas por meio de diagnósticos/pesquisa da realidade.

Objetivos Específicos:

i.  Compreender a história, cultura, cosmologia, identidade, relações sociais e a condição sócio-econômica dos povos indígenas da região;

ii.Conhecer a história da ocupação, conquista dos territórios indígenas na região e a  trajetória de uso da terra nas aldeias;

iii.      Identificar os elementos componentes e condicionantes dos agroecossistemas das aldeias (clima, solo, relevo, vegetação, fauna, etc.);

iv.      Refletir sobre a situação os recursos naturais existentes nas aldeias e a suas relações com a reprodução sociocultural, econômica e ambiental de cada povo;

v.Compreender como se desenvolvem e se interagem as atividades produtivas, seus principais problemas, os potenciais e as inovações criadas na solução dos mesmos;

vi.      Compreender as estratégias de produção e reprodução da vida material e imaterial na aldeia [organização produtiva, cultural, política, social, etc.] e de comercialização ou de troca do excedente da produção que a aldeia e/ou grupos de cooperação utilizam;

vii.     Identificar os impactos sócio-ambientais e contradições provocadas pelo sistema de produção desenvolvido pelos indígenas nas aldeias;

viii.   Compreender o contexto regional como território em disputa entre diversos atores sociais e projetos de desenvolvimento e societários.

 

I CICLO

DIAGNÓSTICO SÓCIO-CULTURAL E AGRO-AMBIENTAL DAS ALDEIAS

Eixo Temático:

Cultura e identidade

COMPONENTES CURRICULARES

CARGA HORÁRIA

Produto

Tempo Escola

Tempo Aldeia

TOTAL

BASE COMUM

Língua Portuguesa e Literatura

70

30

100

Diagnóstico da realidade sócio-produtiva das Aldeias realizado pelos educandos, sistematizado e divulgado;

Educação Física

21

9

30

Artes e Culturas

21

9

30

Informática

28

12

40

Matemática

70

30

100

Física

70

30

100

Biologia

70

30

100

Química

70

30

100

Geografia

42

18

60

História

42

18

60

Filosofia

21

9

30

Educação Etnico-racial

21

9

30

Sociologia

21

9

30

SUB TOTAL

567

243

810

PARTE DIVERSIFICADA/PROFISSIONAL

Seminários de Pesquisa

21

9

30

Língua Estrangeira

28

12

40

Direitos Indígenas Ambientais

28

12

40

Introdução a Agroecologia

28

12

40

Comunicação e Educação

28

12

40

Etnologia Indígena

28

12

40

SUB TOTAL

161

69

230

TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE

Topografia e Georreferenciamento

35

15

50

Agropedologia

28

12

40

Introdução aos Estudos dos Agroecossistemas

28

12

40

Etnobotânica

35

15

50

Etnodesenvolvimento e Territórios Indígenas

28

12

40

SUB TOTAL

154

66

220

TOTAL CARGA HORÁRIA DO I CICLO            

882

378

         1.260

 


 

Ciclo II: AGROECOSSISTEMAS, GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS E SEGURANÇA ALIMENTAR

  

Tempo de execução: três semestres

 

Objetivo Geral: Caracterizar os agroecossistemas indígenas e elaborar propostas de gestão e manejo de atividades produtivas, gestão sustentáveis dos recursos naturais, construção de experimentos sócio-produtivos.

 

Objetivos Específicos:

 

i.        Realizar atividades produtivas experimentais na área da escola e também nas comunidades indígenas;

ii.      Desenvolver experimentos sócio-produtivos, visando à segurança alimentar e a sustentabilidade socioambiental das comunidades indígenas, tendo como base os diagnósticos realizados no 1º Ciclo.

iii.     Acompanhar o desenvolvimento de atividades experimentais, revendo-as e incorporando novos elementos de observação e experimentação baseados nos estudos sobre os sistemas de produção agroecológicos e em experiências tradicionais;

iv.     Analisar e propor processos de organização da produção, beneficiamento, arranjos produtivos e estratégias de comercialização;

v.      Identificar as sementes crioulas, essências florestais e frutíferas, para a segurança alimentar, diversificação produtivas e recomposição florestal;

vi.     Conhecer as políticas públicas voltadas para a produção agrícola e gestão dos recursos naturais;

vii.   Fomentar a produção diversificada e a gestão equilibrada dos recursos naturais existentes.

 

 

 


Ciclo II:AGROECOSSISTEMAS, GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS E SEGURANÇA ALIMENTAR

Eixo temático: Trabalho e Produção

COMPONENTES CURRICULARES

CARGA HORÁRIA

PRODUTO

TE

TA

TOTAL

BASE COMUM

Projeto ou plano de ação elaborado e vivenciado na atividade agrícola.

Relatório do Estágio nas aldeias produzido pelos educandos.

Língua Portuguesa/ Literatura

105

45

150

Educação Física

70

30

100

Artes e Culturas

35

15

50

Informática

70

30

100

Matemática

105

45

150

Física

105

45

150

Biologia

105

45

150

Química

105

45

150

Geografia

42

18

60

História

42

18

60

Filosofia

28

12

40

Sociologia

28

12

40

SUB TOTAL                                                             

840

360

1200

PARTE DIVERSIFICADA/PROFISSIONAL

Língua Estrangeira

35

15

50

Seminários de Pesquisa

35

15

50

Direitos Indígenas Ambientais

21

9

30

Introdução a Agroecologia

21

9

30

Comunicação e Educação

35

15

50

Etnologia Indígena

28

12

40

SUB TOTAL                                                         

175

75

250

TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE

Material didático-pedagógico/ cadernos curriculares elaborados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Topografia e Georreferenciamento

42

18

60

Construções e Instalações Rurais

42

18

60

Agropedologia

14

6

20

Sistema de Criação Agroecológica

112

48

160

Sistema de Cultivos Agroecológicos

133

57

190

Sistemas Extrativistas

63

27

90

Manejo Ecológico dos Solos e Recursos Hídricos

70

30

100

Economia Indígena

42

18

60

Processamento e Beneficiamento

70

30

100

Etnodesenvolvimento e Territórios Indígenas

28

12

40

SUB TOTAL                                                         

616

264

880

CARGA HORÁRIA DO II CICLO

1.631

699

2.330

Estágio– Tempo Espaço comunidade II ciclo

200

TOTAL CARGA HORÁRIA DO II CICLO

2.530

 

 

 

Ciclo III: ETNODESENVOLVIMENTO E POLÍTICAS PÚBLICAS

 

Tempo de execução: um ou dois semestres

 

Objetivos gerais: identificar as políticas públicas votadas para os povos indígenas e as perspectivas do etnodesenvolvimento e suas relações com os projetos societários dos povos indígenas da região, visando que os educandos compreendam-se como sujeitos inseridos nos contexto local e regional.

 

Objetivos específicos:

 

i.         Conhecer ações de instituições de pesquisa, formação e extensão, relacionadas com a questão indígena, especialmente localizadas no Pará;

ii.        Conhecer as principais políticas públicas direcionadas aos povos indígenas: ATER, gestão território, Educação Escolar Indígena e outros.

iii.      Conhecer experiências e projetos de cooperação;

iv.      Continuidade ao acompanhamento dos experimentos agroecológicos na escola e nas comunidades;

v.        Restituir os produtos do segundo ciclo e discutir com a comunidade as perspectivas de atuação técnica dos educandos na aldeia.

 

 

Ciclo III:ETNODESENVOLVIMENTO E POLÍTICAS PÚBLICAS

Eixo temático: Terra e Território e Políticas Públicas

Temas Geradores:

 

CARGA HORÁRIA

Produto

Componentes curriculares

Tempo

Tempo

 

 

Escola

Aldeia

TOTAL

BASE COMUM

 

Língua Portuguesa/ Literatura

42

18

60

Plano de desenvolvimento dos experimentos elaborados e vivenciados

Educação Física

14

8

22

Artes e Culturas

14

8

22

Informática

14

8

22

Matemática

42

18

60

Física

42

18

60

Biologia

42

18

60

Química

42

18

60

Geografia

14

8

22

História

14

8

22

Filosofia

14

8

22

Sociologia

14

8

22

 

308

146

454

PARTE DIVERSIFICADA/PROFISSIONAL

Língua Estrangeira

10

-

10

Seminários de Pesquisa

10

-

10

Direitos Indígenas Ambientais

35

15

50

Comunicação e Educação

10

-

10

Etnologia Indígena

10

-

10

SUB TOTAL                                                              

75

15

90

TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE

Sistema de Criação Agroecológica

21

9

30

Sistema de Cultivos Agroecológicos

21

9

30

Sistemas Extrativistas

63

27

90

Economia Indígena

21

9

30

SUB TOTAL                                                          

126

54

180

CARGA HORÁRIA DO III CICLO            

509

215

724

 

Estágio – Tempo Aldeia III ciclo

160

 

TOTAL CARGA HORÁRIA DO III CICLO

784

Atividades complementares

200

1.084

 
TwitterYoutubeFacebookOrkut
Menu - CSS
Acesso à Informação
Resoluções CONSUP
Sistema de chamados - Informática